top of page

ABD - Aprendizagem Baseada em Dilemas

Dilema Resumido:

017 – A fé e a Ética

Na sacristia de uma igreja, Enzo, 11 anos, é abusado por Onofre, um padre respeitado. Sua mãe, devota católica, testemunha o ato. Onofre alega que suas ações foram divinamente permitidas. Diante disso, a mãe enfrenta um dilema: denunciar o padre, expondo seu filho e provocando um escândalo que abalaria a comunidade e a fé que sempre foi seu suporte, ou manter o silêncio para proteger a reputação da igreja, sacrificando a justiça pelo filho. Este momento define não apenas o futuro de Enzo, mas também o da fé e dos valores morais de sua mãe.

Dilema Completo:

#017 – A fé e a Ética

Na sacristia de uma igreja católica, um lugar tradicionalmente associado à paz e à santidade, ocorre um ato que desafia a essência desses valores. Enzo, um garoto de 11 anos, é encontrado em uma situação extremamente vulnerável, sendo molestado por Onofre, um padre de 60 anos. Este padre, até então, era uma figura de grande estima e confiança, não apenas para a comunidade em geral, mas especialmente para a família de Enzo. A mãe do garoto, uma mulher profundamente devota e católica, chega à igreja buscando seu filho, apenas para se deparar com uma cena que estremece os alicerces de sua fé e moral.

Onofre, ao ser surpreendido pela mãe, não demonstra remorso. Pelo contrário, tenta justificar suas ações com uma alegação perturbadora: diz que o que fez foi permitido por Deus. Essa afirmação choca a mãe de Enzo, lançando-a em um abismo de dúvidas e desespero. Ela se vê diante de um dilema dilacerante: por um lado, a possibilidade de denunciar o padre, enfrentando a exposição pública e o escândalo que tal ato traria, não apenas para ela e seu filho, mas para toda a comunidade que venera a igreja como um pilar de sua vida. Por outro lado, a opção de proteger a reputação da igreja e do padre, tentando de alguma forma esquecer o que seus olhos testemunharam, mantendo-se em silêncio.

A escolha que se apresenta não é simples nem direta. Envolve ponderar entre a justiça para seu filho e a lealdade a uma instituição que moldou cada aspecto de sua existência. A mãe de Enzo enfrenta não apenas a angústia de uma decisão impossível, mas também o desafio de reconciliar sua fé abalada com a realidade brutal diante dela. Este momento de escolha transcende a simples determinação do certo e do errado; é um teste de fé, moralidade e lealdade que questiona profundamente o que significa agir de acordo com os princípios que se professa seguir.

Comentários:

O dilema enfrentado pela mãe de Enzo, entre a denúncia de um ato abominável cometido por uma figura de autoridade religiosa e a proteção da imagem da instituição que constitui um pilar central de sua fé e comunidade, ressalta uma profunda crise ética e moral. Para explorar este delito, recorremos à ética da virtude, uma corrente filosófica que pode oferecer insights significativos sobre esta situação complexa. A ética da virtude, com suas raízes em Aristóteles, enfatiza o caráter e as virtudes como fundamentais para a vida ética, sugerindo que a decisão moral correta decorre do caráter virtuoso e da busca pelo bem maior.

 

Ética da Virtude de Aristóteles

 

Aristóteles argumenta que o objetivo da vida humana é alcançar a eudaimonia, frequentemente traduzida como 'felicidade' ou 'florir', que é alcançada pela prática das virtudes. No contexto deste dilema, a virtude da coragem, da justiça e da temperança são particularmente relevantes.

 

1. Coragem: A mãe de Enzo precisa da coragem para enfrentar a verdade do ocorrido e as consequências de expor tal ato, desafiando uma autoridade respeitada e a percepção pública da igreja.

2. Justiça: A ética da virtude enfatiza a importância da justiça como uma virtude central. Denunciar o abuso é um ato de justiça para com Enzo e potenciais vítimas futuras, colocando o bem-estar das crianças acima da reputação da instituição.

3. Temperança: A temperança envolve a moderação dos próprios impulsos e emoções. A mãe de Enzo deve equilibrar sua lealdade à igreja com a necessidade imperativa de proteger seu filho e outros, guiando sua ação por uma reflexão cuidadosa e não por uma fidelidade inquestionável à instituição.

Respondendo às Questões:

1. A mãe de Enzo agiria de forma mais virtuosa ao denunciar o padre, considerando a ética da virtude de Aristóteles?

Sim, a denúncia do padre seria a ação mais virtuosa, pois alinha-se com as virtudes da coragem e da justiça, priorizando o bem-estar e a proteção de Enzo e potenciais vítimas sobre a reputação da instituição.

2. Como a ética da virtude avalia o conflito entre a lealdade à instituição e a obrigação moral de proteger os vulneráveis?

A ética da virtude avalia este conflito à luz do caráter virtuoso, sugerindo que a lealdade a uma instituição não deve superar a obrigação moral de agir justamente e proteger os vulneráveis. A virtude da justiça, neste caso, exige a proteção dos inocentes acima da lealdade institucional.

3. De que maneira a busca pela eudaimonia influencia a decisão da mãe de Enzo?

A busca pela eudaimonia, ou o florescimento humano, influencia a decisão ao encorajar a mãe a agir de acordo com as virtudes, visando o bem maior para si mesma, seu filho e sua comunidade. Agir virtuosamente, mesmo diante de grandes desafios, contribui para uma vida de integridade e autenticidade, elementos centrais da eudaimonia.

Referências Bibliográficas:

  • Aristóteles. "Ética a Nicômaco". Tradução de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim da versão inglesa de W.D. Ross. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

  • Hursthouse, Rosalind. "On Virtue Ethics". Oxford: Oxford University Press, 1999.

  • Annas, Julia. "The Morality of Happiness". Oxford: Oxford University Press, 1993.

 

A análise deste dilema sob a perspectiva da ética da virtude de Aristóteles destaca a importância de agir de acordo com as virtudes de coragem, justiça e temperança, sugerindo que a decisão moralmente correta é aquela que protege os vulneráveis e promove o bem maior, mesmo diante de desafios significativos à fé e à lealdade institucional.

bottom of page