top of page

ABD - Aprendizagem Baseada em Dilemas

Dilema Resumido:

#023 – Hipocrisia das crenças

Madalena, enfermeira em um hospital movimentado, sempre foi determinada e de opiniões fortes. Ao anunciar seu casamento, esperava alegria, mas seu pai insistiu que a cerimônia fosse na igreja, gerando tensão. Criada em um lar cristão, Madalena percebeu ao longo dos anos a desconexão entre as palavras e ações de muitos cristãos, incluindo seu pai, que pregava caridade, mas não a praticava. Ao recusar casar-se na igreja, Madalena confrontou seu pai: "Os cristãos são hipócritas. Falam de amor e caridade, mas não seguem o que pregam." Seu pai, surpreso, refletiu sobre a acusação. Madalena enfrentava um dilema entre honrar a tradição familiar e ser fiel aos seus próprios princípios, sabendo que sua decisão afetaria seu casamento e sua relação com seu pai e sua fé.

Dilema Completo:

#023 – Hipocrisia das crenças

Madalena sempre foi uma jovem determinada e de opiniões fortes. Trabalhando como enfermeira em um hospital movimentado, ela via diariamente a fragilidade da vida e a importância de viver de acordo com seus princípios. Quando anunciou seu casamento, esperava que fosse um momento de alegria e celebração. No entanto, uma sombra se abateu sobre a ocasião: seu pai insistia que a cerimônia fosse realizada na igreja.


Desde pequena, Madalena foi criada em um lar cristão. Seu pai, um homem de negócios bem-sucedido, sempre fez questão de frequentar a igreja aos domingos e de manter uma imagem de devoto. No entanto, Madalena, ao longo dos anos, começou a perceber uma desconexão entre as palavras e as ações de muitos cristãos ao seu redor, incluindo seu próprio pai. Ele falava sobre caridade e amor ao próximo, mas raramente praticava esses valores fora das paredes da igreja.


Quando Madalena expressou sua relutância em se casar na igreja, a tensão familiar aumentou. Pela primeira vez, ela verbalizou o que vinha sentindo há anos: "Os cristãos são hipócritas", disse ela, com a voz trêmula. "Vocês têm um código de conduta, a Bíblia, mas a maioria não segue o que está escrito. Como você pode falar sobre amor e caridade, pai, quando não reparte seus bens com os mais desfavorecidos?"


Seu pai ficou em silêncio, surpreso com a ousadia da filha. Ele sempre acreditou que estava fazendo o melhor para sua família, mas nunca havia sido confrontado dessa maneira. A questão levantada por Madalena era profunda e dolorosa: como alguém pode adotar um código de conduta e não seguir o que está escrito? Isso não seria imoral e antiético?


O dilema de Madalena não era apenas sobre onde realizar seu casamento, mas sobre a integridade e a coerência entre crenças e ações. Ela se via dividida entre o desejo de honrar a tradição familiar e a necessidade de ser fiel aos seus próprios princípios. A decisão que tomasse não afetaria apenas seu casamento, mas também a relação com seu pai e a forma como ela enxergava sua própria fé.

Comentários:

O dilema enfrentado por Madalena, uma enfermeira que questiona a coerência entre as crenças e ações de sua família cristã, especialmente de seu pai, é um exemplo clássico das tensões entre ética e moral. Para analisar este dilema, recorremos à filosofia de Immanuel Kant, especificamente sua teoria do imperativo categórico. Kant argumenta que a moralidade deve ser baseada em princípios racionais universais que podem ser aplicados a todos, independentemente das circunstâncias individuais.

Teoria do Imperativo Categórico de Immanuel Kant


Primeiro Imperativo Categórico: Kant propõe que devemos agir apenas segundo máximas que possamos querer que se tornem leis universais. No caso de Madalena, a máxima de agir de acordo com os princípios de caridade e amor ao próximo, como pregado pelo cristianismo, deve ser aplicada de maneira universal e coerente. A hipocrisia que ela observa em seu pai e em outros cristãos viola este princípio, pois eles não agem de acordo com as máximas que defendem.


Segundo Imperativo Categórico: Este princípio afirma que devemos tratar a humanidade, tanto em nós mesmos quanto nos outros, sempre como um fim e nunca apenas como um meio. A insistência do pai de Madalena para que o casamento ocorra na igreja pode ser vista como uma tentativa de usar a cerimônia como um meio para manter uma imagem social, em vez de respeitar os desejos e princípios da filha. Isso contraria o imperativo categórico de Kant, que exige respeito pela autonomia e dignidade dos indivíduos.


Terceiro Imperativo Categórico: Kant também enfatiza a importância da autonomia moral, onde cada indivíduo deve ser capaz de legislar moralmente para si mesmo, sem coerção externa. Madalena enfrenta um dilema entre seguir a tradição familiar e ser fiel aos seus próprios princípios. Segundo Kant, ela deve agir de acordo com sua própria razão e convicção moral, mesmo que isso signifique desafiar as expectativas de seu pai e da sociedade.

 

Respondendo às Questões:

1. Como a teoria do imperativo categórico de Kant orienta a decisão de Madalena sobre casar-se na igreja, apesar da hipocrisia que ela observa?

A teoria do imperativo categórico de Kant orienta Madalena a agir de acordo com princípios racionais universais. Se ela acredita que a coerência entre crenças e ações é um princípio moral universal, ela deve seguir seus próprios princípios e não se casar na igreja apenas para satisfazer as expectativas de seu pai. Agir de acordo com sua própria razão e convicção moral é essencial para manter sua integridade ética.


2. De que maneira a insistência do pai de Madalena para que o casamento ocorra na igreja pode ser vista como uma violação do segundo imperativo categórico de Kant?
A insistência do pai de Madalena pode ser vista como uma violação do segundo imperativo categórico de Kant porque ele está tratando a cerimônia de casamento como um meio para manter uma imagem social, em vez de respeitar os desejos e a autonomia de sua filha. Isso contraria o princípio de tratar a humanidade como um fim em si mesmo, exigindo que ele respeite a dignidade e os princípios de Madalena.


3. Qual é o impacto da decisão de Madalena sobre sua relação com seu pai e sua própria fé, segundo a filosofia de Kant?
Segundo a filosofia de Kant, a decisão de Madalena de agir de acordo com seus próprios princípios racionais e morais pode fortalecer sua autonomia e integridade ética. Embora isso possa causar tensão em sua relação com seu pai, é essencial para manter sua dignidade e respeito próprio. Além disso, ao agir de acordo com princípios universais, Madalena pode encontrar uma forma mais autêntica de viver sua fé, baseada na coerência entre crenças e ações.
 

Referências Bibliográficas:

  • Kant, Immanuel. "Fundamentação da Metafísica dos Costumes". Tradução de Paulo Quintela. Edições 70, 2003.

  • Sandel, Michael J. "Justiça: O que é fazer a coisa certa". Tradução de Heloisa Matias e Maria Alice Máximo. Civilização Brasileira, 2011.

  • Wood, Allen W. "Kantian Ethics". Cambridge University Press, 2008.

A análise deste dilema sob a perspectiva da teoria do imperativo categórico de Immanuel Kant destaca a importância da coerência entre crenças e ações, e da autonomia moral. Ela nos lembra que devemos agir de acordo com princípios racionais universais, respeitando a dignidade e a autonomia dos indivíduos, mesmo que isso signifique desafiar as expectativas sociais e familiares.

bottom of page