top of page

ABD - Aprendizagem Baseada em Dilemas

Dilema Resumido:

#004 - Que mal tem? Ganho meu dinheiro honestamente!

Marta, após sentir-se desvalorizada em empregos anteriores, tornou-se advogada especializada em defender criminosos. Ela justifica seu trabalho dizendo que muitos empresários não cumprem os combinados e, na hora de pedir ajuda advocatícia, prometem muito. Quando o caso é resolvido, querem voltar a renegociar os combinados. Marta ganha muito dinheiro com sua reputação no meio criminoso, e seus clientes a consideram extremamente valiosa. Quando não consegue diminuir a pena, consegue liminares que deixam os meliantes saírem em datas festivas, já sabendo que eles, dificilmente voltarão Apesar das críticas, ela afirma seguir rigorosamente as brechas da lei e que todos têm direito a uma defesa justa. Seu sucesso financeiro lhe permitiu adquirir sua terceira casa, e sua família a admira."

Dilema Completo:

#004 - Que mal tem? Ganho meu dinheiro honestamente!

Marta está convicta que todo empresário é filho da puta. Em todos os empregos que ela passou, sempre trabalhou dando sangue e nunca foi reconhecida. Sempre escutou promessas de que, num futuro não distante, ela receberia aumentos e promoções. Esse futuro nunca chegou e Marta mudou seu rumo na vida.

Se formou advogada e trabalha só para bandido. Se especializou em achar brechas na lei e reduzir a pena dos culpados confesso.

Quando não consegue diminuir a pena, consegue liminares que deixam o meliante sair em datas como: dia dos pais, dia das mães, natal, dia das crianças e assim por diante, já sabendo que, quando o bandido sair nessas datas, não vai voltar mesmo.

Com esse trabalho e reputação no meio dos bandidos, Marta vem ganhando muito dinheiro com sua “prestação de serviços”. Ela considera isso um trabalho como outro qualquer. Quando justifica o que faz, ela fala: "Os empresários para quem trabalhei, também eram bandidos, pois prometiam e não cumpriam. Pelo menos esses que eu represento eu sei bem o que são. Eles me pagam certinho e cumprem o que prometem".

Marta segue rigorosamente a lei, por isso não julga seu trabalho como imoral e não liga muito sobre o que falam dela. Ela afirma, sempre que questionada por alguém, que: "todos os seres humanos têm direito a uma defesa justa".

Como seus clientes são diferenciados, Marta recebe um valor acima do mercado para cuidar das causas processuais que estão envolvidos. Os próprios bandidos falam que Marta vale, tranquilamente, o que cobra. Com o dinheiro que ganha com seus clientes, Marta comprou sua terceira casa. Hoje à tarde, Marta vai para praia pegar a chave da nova casa com a família. Seu marido e filhos acham Marta o máximo.

 

Comentários:

O dilema apresentado por Marta, uma advogada que se especializou em defender criminosos, levanta questões profundas sobre ética, moralidade e justiça. Marta justifica sua prática profissional com base em suas experiências negativas com empresários e na convicção de que todos têm direito a uma defesa justa, mesmo quando isso significa explorar brechas legais para beneficiar seus clientes. Este caso ilustra a tensão entre o direito à defesa, um princípio ético fundamental, e as implicações morais de suas ações, tanto para a sociedade quanto para os indivíduos afetados por seus clientes.

Para analisar este dilema, é útil recorrer à ética da responsabilidade, uma corrente filosófica que enfatiza as consequências das ações de um indivíduo sobre os outros e sobre a sociedade como um todo. Hans Jonas, um dos principais expoentes dessa corrente, argumenta que devemos agir de maneira a preservar a integridade e o futuro da humanidade, considerando as implicações de longo prazo de nossas ações.

  • A defesa de criminosos por Marta pode ser vista sob duas luzes: como uma manifestação da ética coletiva, que defende o direito de todos a uma defesa justa, um pilar fundamental do sistema jurídico; e como uma questão moral relacionada à maneira como Marta aplica sua prática, explorando brechas legais para benefício de criminosos confessos. A ética da responsabilidade nos levaria a questionar as consequências de longo prazo dessas ações para a sociedade e para a noção de justiça.

  • O sucesso de Marta levanta questões sobre a ética em prol do bem comum versus uma moral de sucesso individual a qualquer custo. Embora Marta siga a lei, a ética da responsabilidade desafia a justificar suas ações com base apenas no sucesso financeiro e no cumprimento das promessas de seus clientes criminosos. As consequências de suas ações, incluindo a potencial perpetuação de injustiças e a erosão da confiança no sistema jurídico, sugerem uma tensão entre o sucesso individual e o bem comum.

  • A escolha profissional de Marta reflete uma complexidade entre ética e moralidade diante da sociedade. Por um lado, a defesa de criminosos é uma prática ética essencial para garantir um julgamento justo e o funcionamento do sistema jurídico. Por outro lado, a maneira como Marta exerce sua profissão, especialmente sua abordagem de explorar brechas legais para benefício de criminosos, pode ser vista como moralmente questionável. A ética da responsabilidade nos convida a considerar as implicações mais amplas de tais práticas para a justiça e o bem-estar social.

Respondendo as Questões:

1. A defesa de criminosos por Marta é justificada por uma ética coletiva ou é uma questão moral de como ela aplica sua prática?

A defesa de criminosos por Marta é justificada por uma ética coletiva que sustenta o direito à defesa justa como um princípio fundamental. No entanto, a maneira como ela aplica sua prática, explorando brechas legais para benefícios questionáveis, levanta questões morais significativas sobre a responsabilidade de suas ações.

2. O sucesso de Marta desafia a ética em prol do bem comum ou segue uma moral de sucesso individual a qualquer custo?

O sucesso de Marta desafia a ética em prol do bem comum, na medida em que suas ações podem ter consequências negativas para a sociedade e para a confiança no sistema jurídico. A ética da responsabilidade sugere que o sucesso individual a qualquer custo, sem considerar as implicações mais amplas, é moralmente questionável.

3. A escolha profissional de Marta reflete a ética ou uma moral questionável diante da sociedade?

A escolha profissional de Marta reflete tanto a ética, no sentido de garantir o direito à defesa, quanto uma moral questionável, dada a maneira como ela exerce sua profissão. A ética da responsabilidade nos leva a refletir sobre as consequências de longo prazo de suas ações para a justiça e o bem-estar coletivo, desafiando-nos a ponderar entre o cumprimento da lei e a promoção da justiça verdadeira.

Referências Bibliográfica:

  • Jonas, H. (1979). The Imperative of Responsibility: In Search of an Ethics for the Technological Age.

  • Dworkin, R. (1977). Taking Rights Seriously. Harvard University Press.

  • Rawls, J. (1971). A Theory of Justice. Belknap Press.

  • Sandel, M. J. (2009). Justice: What's the Right Thing to Do? Farrar, Straus and Giroux.

Esta análise, fundamentada na ética da responsabilidade, destaca a importância de considerar as implicações de longo prazo das ações individuais para a sociedade e para a noção de justiça, especialmente em profissões que têm um impacto direto sobre a vida e o bem-estar dos outros.

bottom of page