top of page

ABD - Aprendizagem Baseada em Dilemas

Dilema Resumido:

#007 - E os nossos combinados?

Neimar e Nilmar, irmãos gêmeos da periferia de São Paulo, cresceram sob a máxima paterna de que o sucesso vinha do futebol ou da política. Encaminhados para escolinhas de futebol de times renomados, embora treinassem separados, compartilhavam e praticavam juntos em casa. Unidos, os irmãos, um atacante e o outro goleiro, prometeram nunca mentir um para o outro após um desentendimento durante uma brincadeira de rua. Com o tempo, ambos progrediram nas escolinhas, alcançando os times principais e a fama. A vida os colocou frente a frente em uma final de campeonato decisiva. O jogo, equilibrado, caminhava para o fim quando Neimar caiu na área adversária, simulando uma falta. O árbitro marcou pênalti, mas Nilmar, conhecendo a verdade, confrontou Neimar sobre o valor de sua palavra e o juramento de honestidade que fizeram. Neimar, diante do dilema entre a vitória e a integridade, prometeu resolver a situação ao seu modo, assegurando que cumpriria o acordo ao errar o pênalti de propósito. Entretanto, na hora da cobrança, uma reviravolta: o técnico escolheu outro jogador para a tarefa. O substituto marcou o gol, decidindo o campeonato.

Dilema Completo:

#007 - E os nossos combinados?

Neimar e Nilmar são irmãos gêmeos, nascidos na periferia de São Paulo. O pai deles sempre disse que para se dar bem na vida, ou eles seriam políticos ou jogador de futebol. Assim, ele colocou os dois na escolinha de futebol de dois times grandes da capital. Embora separados quando praticavam o esporte, ao voltarem para casa, brincavam juntos e com os amigos na rua jogando na rua. Os dois sempre foram muito unidos e compartilhavam entre si o que aprendiam nas escolinhas.

Neimar era atacante e Nilmar goleiro. Um dia, brincando na rua, Neimar simulou uma falta que na verdade não houve. Os dois se estranharam no momento, mas o jogo seguiu. À noite, quando foram dormir, falaram sobre o corrido e combinaram que nunca mais um mentiria para o outro. Entenderam que aquela simulação não deveria mais ocorrer e sim o talento de cada um.

Definiram que ganhar um jogo mentindo, não seria legal. Eram jovens, 15 anos, e tudo era sonho e possibilidades. O tempo foi passando e os dois, com reais talentos, foram subindo nas escolinhas e chegaram ao time principal. Com isso vieram os contratos, fama e tudo mais.

Numa final de campeonato os dois se encontraram para decisão. O jogo estava duro e nenhum time conseguiu fazer gols. Aos 43 minutos do segundo tempo, Neimar caiu na área do time adversário. Nilmar viu que era simulação. O juiz apitou pênalti. O time todo de Nilmar foi correndo até o juiz falando sobre a simulação. Enquanto isso, Nilmar foi até Neimar e cobrou o juramento feito a tanto tempo, falando: “Meu irmão, e os nossos combinados de nunca mais mentir? Nossa palavra não vale nada? ”.

O título do campeonato estava em jogo. Se ele voltasse atrás e falasse para o juiz que não houve nada, praticamente encerraria sua carreira. Neimar então disse para seu irmão: “Fique tranquilo que eu vou cumprir nossos combinados e, quando bater o pênalti e chutarei fora”.

Após toda confusão, o juiz confirmou o pênalti e colocou a bola na marca. No momento em que Neimar se posicionava para cobrar o pênalti, o técnico mandou outro jogador bater.

Locutor: é gooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooool!!!!

Comentários:

 

O dilema enfrentado por Neimar e Nilmar, irmãos gêmeos e jogadores de futebol profissional, ilustra um conflito profundo entre ética e moral no contexto esportivo. Este caso nos permite explorar as nuances desses conceitos quando aplicados a uma situação real, onde a promessa de honestidade entre os irmãos é posta à prova em um momento decisivo de suas carreiras.

 

Para esta análise, adotaremos a corrente filosófica do contratualismo, particularmente as ideias de John Rawls. O contratualismo rawlsiano enfatiza a justiça como equidade, propondo que os princípios de justiça devem ser escolhidos sob um véu de ignorância, onde os indivíduos desconhecem suas posições na sociedade. Esta abordagem permite uma análise do dilema de Neimar e Nilmar sob a ótica da justiça e da equidade, considerando o que seria justo para todos os envolvidos, independentemente de suas relações pessoais ou interesses individuais.

 

Corrente Filosófica: Contratualismo de John Rawls

 

O contratualismo, conforme proposto por Rawls, oferece uma estrutura para avaliar a justiça das ações e decisões, baseando-se na ideia de que os princípios de justiça devem ser determinados por indivíduos racionais em uma posição original de igualdade.

 

Aplicação do Contratualismo ao Dilema:

 

Escolha de Neimar: A decisão de Neimar entre vencer a qualquer custo e manter uma promessa feita ao irmão reflete um conflito entre a ética da justiça (cumprir uma promessa) e a moral da vitória (ganhar a qualquer custo). Sob a perspectiva contratualista, a ação mais justa seria aquela que respeita o acordo feito sob condições de igualdade, priorizando a honestidade e a integridade sobre o resultado imediato do jogo.

 

Decisão do Técnico: A escolha do técnico de substituir Neimar na cobrança do pênalti, sem conhecimento prévio da promessa entre os irmãos, coloca em questão a ética da integridade no esporte. Esta decisão pode ser vista como uma ação que prioriza a vitória, possivelmente à custa da justiça e da honestidade. No entanto, sem a informação sobre o acordo entre Neimar e Nilmar, o técnico age dentro de sua moral de buscar o melhor para a equipe.

 

Dilema entre Neimar e o Técnico: A situação destaca um dilema entre a ética do respeito mútuo (a promessa entre os irmãos) e a moral da vitória (a decisão do técnico de buscar o gol a qualquer custo). Sob a ótica contratualista, a questão central é se a ação promove a justiça e a equidade, considerando tanto a promessa pessoal quanto o objetivo coletivo da equipe.

 

Respondendo as Questões:

 

1. A escolha de Neimar entre vencer a qualquer custo e manter uma promessa é um conflito entre ética e moral

Sim, este conflito ilustra a tensão entre a ética da justiça e a moral da vitória. A ética, sob a perspectiva contratualista, demandaria que Neimar honrasse sua promessa, promovendo a justiça e a integridade, enquanto a moral da vitória poderia justificar a busca pelo sucesso, independentemente dos meios.

 

2. A decisão do técnico reflete uma ética ou uma moral de integridade no esporte?

A decisão do técnico reflete uma moral de integridade no esporte, na medida em que busca o sucesso da equipe. No entanto, sem o conhecimento da promessa entre Neimar e Nilmar, sua ação é guiada pela moralidade da competição, que valoriza a vitória como o objetivo supremo.

 

3. A situação entre Neimar e o técnico destaca um dilema entre a ética do respeito mútuo e a moral da vitória?

 Sim, a situação evidencia um dilema entre a ética do respeito mútuo, representada pela promessa de honestidade entre os irmãos, e a moral da vitória, exemplificada pela decisão do técnico de maximizar as chances de sucesso da equipe. A análise contratualista sugere que a resolução justa desse dilema requer a consideração de princípios de justiça e equidade, além das normas competitivas do esporte.

 

Referências bibliográficas:

 

  • Rawls, J. (1971). *A Theory of Justice*. Harvard University Press.

  • Kymlicka, W. (2002). *Contemporary Political Philosophy: An Introduction*. Oxford University Press.

  • Sandel, M. J. (2009). *Justice: What's the Right Thing to Do?* Farrar, Straus, and Giroux.

 

Esta análise, fundamentada no contratualismo de John Rawls, busca compreender o dilema de Neimar e Nilmar, enfatizando a importância da justiça e da equidade nas decisões éticas e morais no contexto esportivo.

bottom of page