top of page

ABD - Aprendizagem Baseada em Dilemas

Dilema Resumido:

#014 – O silencio de Luiza

Luiza, funcionária de uma multinacional, enfrenta um dilema após ser assediada moralmente por seu chefe. As ações dele, embora sutis, têm um impacto profundo em seu bem-estar. Adriana, sua amiga e colega, ao saber da situação, aconselha Luiza a denunciar o assédio à diretoria. Contudo, Luiza teme as possíveis consequências de tal ato, incluindo a perda de seu emprego e a marcação como problemática no ambiente corporativo. Diante dessa encruzilhada, Luiza pondera entre a segurança de seu emprego e sua integridade pessoal, enfrentando a difícil decisão de expor ou não o comportamento abusivo de seu chefe. Luiza está perdida e confusa. Sabe que sua decisão não vai ter volta. Ela está dividida entre os seus boletos e sua integridade.

Dilema Completo: 

#014 – O silencio de Luiza

No escritório de uma multinacional, Luiza se encontra em uma situação delicada. Recentemente, ela começou a sofrer assédio moral por parte de seu chefe, um indivíduo com considerável influência dentro da empresa. As ações do chefe são sutis, mas persistentes, afetando profundamente o bem-estar e a autoestima de Luiza.

Adriana, amiga e colega de trabalho de Luiza, percebe uma mudança no comportamento dela. Após muita insistência, Luiza compartilha com Adriana o que vem enfrentando. Adriana fica indignada e sugere que Luiza leve o caso à diretoria, argumentando que é preciso agir contra a injustiça.

Luiza, porém, se vê diante de um grande dilema. Denunciar o assédio poderia trazer consequências severas para sua carreira e vida pessoal, incluindo a possibilidade de perder o emprego. Além disso, ela teme ser marcada como uma pessoa problemática dentro do ambiente corporativo, o que poderia afetar suas oportunidades futuras.

A situação de Luiza a coloca em uma encruzilhada, onde ela deve ponderar entre a segurança de seu emprego e sua saúde mental e emocional. A decisão que Luiza está prestes a tomar não é apenas sobre enfrentar seu chefe, mas também sobre navegar as complexidades das dinâmicas de poder dentro do ambiente de trabalho.

 

Comentários:

O dilema de Luiza, que envolve a decisão de denunciar ou não um assédio moral sofrido no ambiente de trabalho, reflete uma profunda questão ética sobre a coragem de enfrentar injustiças versus a autopreservação diante de potenciais represálias. Para analisar este dilema, recorreremos à ética do cuidado, uma corrente filosófica que enfatiza a importância das relações interpessoais e a responsabilidade mútua no entendimento da moralidade, conforme desenvolvido por Carol Gilligan.

 

Ética do Cuidado de Carol Gilligan

 

Carol Gilligan, em sua obra "In a Different Voice", critica as teorias éticas tradicionais por negligenciarem as dimensões de interdependência e cuidado nas relações humanas. A ética do cuidado propõe uma perspectiva moral centrada na empatia, na compreensão e na resposta às necessidades dos outros, valorizando o contexto e as relações específicas.

 

No caso de Luiza, a ética do cuidado nos convida a considerar não apenas as consequências de suas ações para si mesma, mas também o impacto que sua decisão pode ter sobre a comunidade de trabalho como um todo. Ao ponderar sobre denunciar o assédio, Luiza está, de fato, avaliando sua responsabilidade não apenas em proteger sua integridade e bem-estar, mas também em contribuir para a criação de um ambiente de trabalho mais justo e seguro para todos.

 

A ética do cuidado reconhece a complexidade da situação de Luiza, valorizando a coragem necessária para agir em defesa do cuidado mútuo e da justiça, mesmo diante de potenciais riscos pessoais. Esta perspectiva enfatiza a importância de agir de maneira que preserve a dignidade e o respeito por si mesma e pelos outros, encorajando Luiza a buscar apoio e solidariedade em sua comunidade para enfrentar o assédio.

 

Respondendo às Questões:

1. A decisão de Luiza de denunciar o assédio pode ser considerada um ato de cuidado para com ela mesma e seus colegas?

Sim, a decisão de denunciar o assédio pode ser vista como um ato de cuidado, pois reflete uma preocupação com a própria integridade e bem-estar, além de contribuir para a proteção de seus colegas contra futuras injustiças, promovendo um ambiente de trabalho mais ético e seguro.

2. Como a ética do cuidado ajudaria Luiza a navegar as preocupações sobre as consequências de sua ação?

A ética do cuidado encorajaria Luiza a buscar diálogo e apoio dentro de sua comunidade de trabalho, enfatizando a importância de construir relações de confiança e solidariedade que possam oferecer suporte diante das dificuldades. Isso incluiria considerar as perspectivas de colegas confiáveis e buscar aconselhamento sobre as melhores formas de proceder, mantendo-se fiel aos seus valores de integridade e justiça.

 

3. Qual o papel da empatia na decisão de Luiza segundo a ética do cuidado?

A empatia desempenha um papel central na ética do cuidado, pois permite a Luiza compreender e valorizar as experiências e sentimentos de todos os envolvidos, incluindo os seus próprios. Isso a ajudaria a avaliar as consequências de suas ações de uma maneira mais holística, considerando não apenas os riscos, mas também o potencial para promover mudanças positivas em seu ambiente de trabalho.

 

Referências Bibliográficas:

  • Gilligan, C. (1982). In a Different Voice: Psychological Theory and Women's Development. Harvard University Press.

  • Held, V. (2006). The Ethics of Care: Personal, Political, and Global. Oxford University Press.

  • Tronto, J. C. (1993). Moral Boundaries: A Political Argument for an Ethic of Care. Routledge.

 

A análise do dilema de Luiza através da lente da ética do cuidado de Carol Gilligan oferece uma perspectiva rica e compassiva, destacando a importância das relações interpessoais e da responsabilidade mútua na navegação de questões éticas complexas no ambiente de trabalho.

bottom of page