top of page

Você tem a competência: A.G.A.?


Al.te.ri.da.de: que se opõe à identidade, ao que é próprio e particular; que enxerga o outro, como um ser distinto, diferente.


Ge.ne.ro.si.da.de: Quem se sacrifica em benefício de outra pessoa; bondade


Al.tru.ís.mo: Ausência de egoísmo; comportamento de quem tem em consideração o outro, de quem se preocupa com os demais.


Refletir a vida com alteridade (A.), agir com generosidade (G.), comportando-se com altruísmo (A.); essas são as competências éticas e morais esperadas do ser humano na atualidade.


Pessoas com essas competências, genuínas e não mercadológicas, vão influenciar a sociedade para mudanças radicais no mundo. Poucas pessoas têm essas competências. As que têm, vivem no anonimato fazendo sua parte. Elas torcem para que outras pessoas se engajem e adquiram a competência A.G.A.


Não confunda essas pessoas com aquelas que compram todos os panos de prato de alguém vendendo no farol, filma tudo e coloca na internet como um grande feito. Nem com aquelas que limpam o guarda-roupa no final de ano, e todas as roupas velhas doam para a empregada. Essas pessoas apenas estão aliviando a culpa que sentem e/ou resolvendo um problema seu.


Há também aquelas que agem com filantropia, doando dinheiro ou abrindo ONG’s, mas não metem a mão na massa. Apenas aportam recursos financeiros. Essas pessoas são importantes num mundo cheiro de egoísmo, mas ainda assim não são pessoas A.G.A.


Pessoas com competência A.G.A; têm a alteridade como fio condutor, ou seja, entende que o outro é um ser distinto e que não dá para se colocar no lugar dele. Dá apenas para respeitar o outro como ele é. Compreende também que, para ser generoso tem que ter uma certa dose de sacrifício para dividir com o outro o que é possível. Além disso, age com altruísmo com objetivo de não ser egoísta e cuidar do outro não apenas em datas específicas e sim sempre que puder e não sempre que quiser. Alteridade, generosidade e altruísmo estão presentes, simultaneamente, nas pessoas A.G.A.


Não há nada de religioso com as pessoas A.G.A. Elas agem assim por consciência e não por religiosidade. Elas agem em seu nome e não em nome de Deus ou outro ser metafísico que houver. A ação e totalmente racional e não emocional. Ações emocionais tendem a sumirem quando sentimento se esvazia. Embora as pessoas A.G.A; estejam em todos os livros religiosos como regras a serem seguidas, o que as motivam serem o que são é a preocupação com o futuro da espécie humana.


As pessoas A.G.A; sabem das diferenças sociais e procuram resolver isso de duas formas: amenizando o sofrimento provendo recursos que podem e atuando na causa política do problema votando certo e cobrando de seus candidatos as promessas de campanha que abarcam esses temas. São atuantes em todos os momentos.


Pessoas A.G.A; comem carne. Mas não comem carne folheada e ouro. Não desperdiçam recursos do planeta para “aparecer” para os outros como pessoas de sucesso. Pessoas A.G.A; procuram mais “ser” do que “ter”. Sucesso para elas é quando todos ganham e quando conseguimos reduzir a mazelas do mundo.


Alguns cientistas, em seus ensaios, viram que as pessoas A.G.A; produzem mais o hormônio da oxitocina. Os efeitos da oxitocina podem ser divididos em duas áreas: as puramente físicas e as relacionadas ao comportamento social das pessoas. Em um nível psicológico, a oxitocina é conhecida como o "hormônio do amor". Isso porque é um dos principais responsáveis ​​pelo surgimento de laços afetivos, entre os quais se encontram o amor romântico ou de casal, o apego entre pais e filhos e até mesmo as relações de amizade.

Assim, quando nos encontramos na frente de uma pessoa que valorizamos, tendemos a secretar maiores quantidades de oxitocina. Esse processo fortalece o vínculo emocional entre os dois indivíduos e estimula emoções como a confiança ou o desejo de ajudar o outro.


Em resumo: quem frequentemente pratica a alteridade, a generosidade e o altruísmo, acaba se viciando (sem saber) na oxitocina e entra em um círculo virtuoso e não para mais. O Brasil se polarizou nos últimos anos. Precisamos mudar isso com urgência. A única forma sadia de fazer isso é a mudança interna. É mudando nós mesmos, nossos paradigmas e convicções e nos transformando em pessoas A.G.A. Somente com Alteridade, Generosidade e Altruísmo poderemos recuperar a pequenez que nos encontramos.


Desejo que em 2023, você desenvolva a competência A.G.A e se vicie nela.
9 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page