top of page

Mitos sobre Ética e Moral – Parte: 2


Continuando nossa jornada em desvendar os mitos criados em torno dos temas da Ética e Moral, apresentamos agora mais 06 pérolas encontradas nas redes sociais e em demais publicações da internet. Sempre quando leio um texto que existe algum conceito “novo” de Ética e Moral, procuro entender as competências de quem escreveu vasculhando a sua vida acadêmica. Geralmente encontro alguém com formação em outras áreas do saber e não na filosofia, campo de estudos da ética e moral.

Isso é um impeditivo para falar, corretamente, sobre ética e moral?

É óbvio que não. Embora os estudos filosóficos sejam a base para o entendimento dos temas, se a pessoa se dedica a estudar ética e moral, cumprindo a metodologia correta e necessária para estudar a filosofia, eu vejo como uma evolução. Sou a favor da filosofia e suas disciplinas saírem do mundo acadêmico.

Falo em cumprir a metodologia correta e necessária, em função de você saber o que ler primeiro, as influências dos filósofos anteriores e posteriores, do filósofo que você está lendo e as interferências dos contextos. Isso nada mais é do que se aprende estudando a filosofia.


O estudo da filosofia, resumidamente, é divido em duas formas: Especialização em Filósofos (Kant, Descartes, Hume etc.) e Especialização em Temas (Ética e Moral, Educação, Política etc.). Quem se especializa em filósofos, tem a tendência de “defender” as obras daquele que está estudando de forma contumaz. Quem se especializa em temas, tem a tendência de “comparar” as várias abordagens entre os filósofos que falaram sobre o tema em foco e de estabelecer uma visão autoral baseada em análise, síntese, tese e antítese do objeto de estudo. Esse é meu caso.


Assim, mesmo não formado em filosofia, você pode ser um estudioso de Ética e Moral, porém deve, para que seus textos tenham certa razoabilidade e relevância, seguir certos protocolos saudáveis para elaboração de suas asserções. Sem esses cuidados mínimos, cairemos na banalização dos conceitos o que é ruim para todos. Combinado?


Na parte 1, falamos sobre:

· Mito: 01 – A Ética e Moral são sinônimos.

· Mito: 02 – Existe a Ética Empresarial; Ética Médica; Ética no Serviço Público etc.

· Mito: 03 – Moralistas são pessoas ruins.

· Mito: 04 – É certo falar em Código de Ética.

· Mito: 05 – É importante ter um Comitê de Ética.

· Mito: 06 – Ranking das empresas mais Éticas.


Vamos para mais 06 mitos que encontramos nas redes e que é comum aparecerem como verdades:


Mito: 07 – Existe a Ética do Bandido; Ética da Cadeia etc.

Loucura total. Nada de mal pode estar relacionado a ética. Na verdade estamos falando de algo aético (ausência de um modelo ético), antiético (contrário a ética existente), amoral (ausência de regras) e imoral (contrário as regras existentes).

Todo o resto é puro devaneio.

Mito: 08 – Canal de Ética para denúncias.

De novo isso? Na verdade esses “Canais de Ética para denúncias” também são apenas canais que tratam das condutas de pessoas dentro de uma empresa. Eles existem para coletar as denúncias de forma (na sua maioria) terceirizada com objetivo de não constranger quem está denunciando perante a empresa, mesmo em denúncias anônimas. Mais uma vez estamos falando de moral.


Experimenta ligar, após pesquisar com profundidade, para o canal de ética de uma empresa de alimentos por exemplo, e falar que você quer denunciar a própria empresa em função dela não fazer nada para acabar com a fome do mundo. Que ela tem nos seus valores a Ética e que você não está vendo nada de Ético nas ações da empresa em relação a isso. Depois me conta o que aconteceu.

Mito: 09 - Institutos e associações "guardiãs" da Ética e da Moral, existem?

Um monte. O que mais tem sobre ética, são institutos e associações. Engraçado que você não vê institutos e associações que usam os dois termos: Ética e Moral. Isso mostra que essa desassociação acontece por falta de conhecimento dos temas, pois os dois termos estão diretamente imbricados e não deveriam estar desassociados.


Como eu já disse em outro tópico, a ética virou “modinha”, por isso condicionar o instituto ou associação somente a ética é bacana. Na verdade, estes institutos e associações, o que menos eles cuidam é da Ética. Cuidam, com algumas exceções, apenas da Moral, pois são organizações que buscam difundir o sentido da virtude, apenas na postura do cumprimento das regras (leis), o que é uma forma menor de ver os eventos cotidianos. O pior de tudo isso é que, os associados dessas organizações, na sua maioria, apresentam problemas éticos e morais importantes: ações trabalhistas, assedio moral, corrupção etc. Diante disso, surge uma imperativa pergunta: O que o instituto/associação e seus respectivos associados têm feito (realmente) pela ética?

Mito: 10 - Empresas com ética no nome, são oportunistas?

Na sua maioria, sim. Só aqui no LinkedIn existem mais de 500 empresas que colocaram Ética na sua razão social e/ou nome fantasia. São: Imobiliárias, Empresas de Investimentos, Políticas, Ambiental, Recursos Humanos, Engenharia, Construtora, Escolas, Contabilidade e tudo mais o que você pensar.

Acho que passa na cabeça de quem criou a empresa que, ao colocar “ética” no seu nome, automaticamente ela se torna ética e o público em geral, que não conhece ética e moral suficiente, tende a achar que, realmente, as empresas são ética mesmo.


Já não basta os institutos e associação usarem a ética agora as empresas. É uma verdadeira banalização. Puro Fake News.


Meu desejo, é que as pessoas um dia entendam de ética e moral e, quando depararem com os institutos, associações e empresas que usam em seu nome a palavra ética, cobrem de forma radical o que eles colocaram em seus nomes.

Mito: 11 - Existe algum algoritmo ético e moral?

Esse é um problema complexo. Agora em março/2023, um grupo de pesquisadores de inteligência artificial (IA) publicou uma carta aberta pedindo que laboratórios de IA suspendam por pelo menos seis meses o treinamento de sistemas de IA mais poderosos que o GPT-4, e desenvolvam protocolos de segurança compartilhados para a criação de IA avançada.


Os pesquisadores afirmam que os sistemas de IA contemporâneos estão se tornando competitivos com os humanos em tarefas em geral, e que a humanidade precisa estar confiante de que seus efeitos serão positivos e seus riscos serão administráveis. A carta também faz apelo para que os desenvolvedores de IA trabalhem em conjunto com os formuladores de políticas públicas para acelerar o desenvolvimento de sistemas robustos de governança das IAs, incluindo novas autoridades regulatórias dedicadas à IA e um robusto ecossistema de auditoria e certificação.


Mesmo com essa carta, ainda não tocaram no cerne da questão: A reflexão Ética e o Agir Moral. Sem conhecer ética (bem comum universal) e moral (certo/errado local-cultural) um programador poderá “levar” sua imoralidade e seu pensamento antiético para dentro de um algoritmo da IA e prejudicar milhões de pessoas. Então sim, os algoritmos programados por pessoas que entendem, de forma estruturada e profunda, de ética e moral, poderão programar em ambientes de IA, soluções virtuosas.

Mito: 12 - Como é a Ética e a "sopa de letrinhas"?

Mais o mesmo! ESG, LGPD, Certificações: PLD-FTP, IPLD, CCEP, CCEP-I, CCEP-F, CFE entre outras. Essa sopa de letrinhas existe só para “vender” novas versões de coisas que já existem há muito tempo. Vamos pegar por exemplo: ESG - do inglês, Environmental, Social and Governance, ou seja: Ambiental, Social e Governança. É uma sigla que diz respeito à integração da geração de valor econômico aliado à preocupação com as questões ambientais, sociais e de governança corporativa.


Na prática, é uma forma de mostrar responsabilidade e comprometimento com o mercado que atuam, seus consumidores, fornecedores, colaboradores e seus investidores.

Parece que nunca, antes da ESG, houve preocupação com o meio ambiente, com as pessoas e com a forma das empresas agirem. Eu acho excelente revisitar um assunto que já foi tratando anos atrás e trazer novos conceitos. Mas acho muito mais que excelente é agir de fato em relação a esses assuntos e parar de ficar criando mais do mesmo.


No fundo a gênese sempre será a reflexão ética e o agir moral. Ontem, hoje e amanhã. Se as pessoas assumissem um Postura Ética perante a vida, não precisaríamos de uma “sopa de letrinhas” a cada estação.


Finalizando essa segunda parte dos Mitos sobre Ética e Moral, (semana que vem tem mais) gostaria que você leitor, fizesse uma leitura mais critica do código de conduta, das normas e procedimentos, dos valores e tudo mais que sua Organização diz que acredita. No momento que você encontrar a palavra “Ética”, veja se ela está (no texto e no contexto) associada ao bem comum com viés universal. Da mesmo forma, toda vez que você encontrar a palavra “Moral”, veja se ela está associada as regras, leis e normas. Caso não estejam, recomende que seja reescrito os documentos e cobre, efetivamente, que a organização pratique os conteúdos.


Tenho convicção que Ética e Moral só serão relevantes se as organizações investirem pesado no treinamento de seus stakeholders nos temas. As universidades não querem fazer isso por motivos mercadológicos. Para sua organização falar que é ética e moral, ela deveria investir, no mínimo, cerca de 100 horas/ano de treinamento nos temas. Esse tempo é, aproximadamente, 5% do tempo de trabalho de um funcionário.


Hoje, quanto sua organização investe, em treinamento estruturado e profundo, sobre Ética e Moral? Percebeu o problema?
46 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page